quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Conversationalists e Splinternet

Depois de meses de silêncio, retorno ao blended blog com algumas novidades.

Um dos autores de Groundswell, Josh Bernoff, traz-nos este mês uma revisão da escada socio-tecnográfica, procurando actualizá-la em função do "novo" fenómeno dos tweets e dos status updates em plataformas como o Facebook. Surge o grupo dos Conversationalists que não me vou atrever a traduzir.

O relatório é limitado e pago mas para os que já acompanhavam esta nova abordagem à segmentação fica a novidade.

Uma nova buzzword para quem já se interessava pelos temas da Fragvergence (Fragmentation and Convergence) é a Splinternet. Deixo só a provocação e o link porque sei que vai dar que falar...

sábado, 16 de maio de 2009

Blended Marketing, agora em livro e conferência














É lançado esta semana nas livrarias o "b-Mercator - Blended Marketing", projecto de que falávamos no post que marcou o arranque deste blog.

Porque estamos a falar de Blended Marketing, o arranque do livro é acompanhado do lançamento do site e encontra o ponto alto nas Conferências "Novas Oportunidades de Negócio" no dia 2 de Junho em Lisboa (Centro de Congressos de Lisboa) e no dia 16 de Junho no Porto (Universidade Católica).

Inédito é o facto de o "bilhete de entrada" na conferência ser o próprio livro, sendo obrigatório o registo prévio no site.
Para testar os conhecimentos de blended marketing, os autores criaram um questionário on-line.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Aprender com o Groundswell e caminhar sobre as águas: EA Sports Tiger Woods 09

Um dos exemplos mais interessantes de "escuta activa" dos consumidores nos social media é o da EA Sports que soube reagir a uma denúncia de um 'bug' no jogo Tiger Woods PGA Tour. Este jogo de golfe tinha um bug não detectado pela equipa de desenvolvimento: permitia ao jogador  Tiger Woods andar e dar tacadas por cima das águas. Alguns jogadores filmaram este defeito do jogo, colocaram no Youtube e baptizaram-no de "Jesus Shot".

Para além das naturais explicações corporativas do erro, a EA Sports revelou perceber o tom e espírito com que o groundswell abordou o tema e devolveu-o da melhor forma, criando um novo spot de televisão para o jogo em que coloca Tiger Woods a caminhar efectivamente sobre as águas. Os consumidores viram a marca reagir com boa disposição à sua "provocação" e gostaram...

Este caso reflecte bem o princípio de que a escuta activa dos consumidores nos social media é uma actividade crítica e geradora de oportunidades. Não só a marca viu o bug detectado como identificou uma oportunidade para desenvolver e reforçar a sua relação com os consumidores.

video

sábado, 10 de janeiro de 2009

Groundswell - Parte 2












Terminada a leitura fica - definitiva e convictamente - a referência. Para além de uma perspectiva clara e sistematizada, os autores apresentam um conjunto de casos reais para ilustrar os fenómenos de media social e a sua aplicação empresarial.

Uma das "novidades" do livro para muitos marketeers será a abordagem aos perfis Sócio-Tecnográficos da Forrester Research(reflectindo uma caracterização em função da participação dos consumidores no Groundswell) e a disponibilização de uma ferramenta on-line para a consulta de dados de uma série de países. Não existindo um estudo específico para Portugal existe, contudo, uma perspectiva europeia com "zoom" para alguns dos grandes países.

A consultar: Social Technographics Profile

sábado, 13 de dezembro de 2008

Groundswell

As minhas leituras centram-se agora no Groundswell - winning in a world transformed by social technologies. Os autores definem groundswell como "a social trend in which people use technologies to get the things they need from each other, rather than from traditional institutions like corporations".

Charlene Li e Josh Bernoff sistematizam os principais desafios levantados pela social media, um dos temas mais em voga nas reflexões sobre o blended marketing. Farei o meu review no final da leitura mas deixo já o link para apreciação.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Will it blend?

Já há quase um ano que integro um grupo de marketeers que tem estado a discutir o potencial (e eventuais limites) da integração do marketing dito "tradicional" com o digital. Esse grupo constituído pelo Pedro Dionísio, Vicente Rodrigues, Rogério Canhoto, Rui Correia Nunes e por mim, tem vindo a sistematizar uma série de ideias que se materializam num livro a publicar em 2009 que se focalizará naquilo que optámos por definir como Blended Marketing.

Sem termos a pretensão (ou arrogância) de querer impor ou apadrinhar uma definição, pareceu-nos interessante recorrer à expressão blend, não só pela tradução evidente para mistura, mas sobretudo porque o blend está associado a uma consistência de integração que será, no nosso entendimento, um dos maiores desafios para os marketeers de hoje.

Estamos conscientes de que o online (e o digital, de forma mais abrangente) tem um impacte de tal maneira profundo no marketing moderno, que não pode ser observado apenas como mais um canal de venda, ou simplesmente como mais um meio. Olhando para os processos constituivos do marketing, todos eles - estratégia, segmentação, comunicação, venda, fidelização -  têm de ser re-analisados e alterados para dar resposta aos novos desafios que o consumidor e a tecnologia da Era Digital nos levantam.

Com o arranque deste blogue, abrimos espaço à interacção com alguns profissionais e alunos com quem temos partilhado a nossa visão e reflexões sobre o blended, sobretudo com os alunos da ISCTE Business School.

Fica assim aberto o espaço para explorarmos os desafios da integração do mkt tradicional e digital. 

Will it blend?